Como resolver o problema da humidade da casa de banho?

O tecto da sua casa de banho apresenta manchas de humidade?
A excessiva humidade e os fenómenos de condensação, que ocorrem em particular, nos meses mais frios e chuvosos, associados a uma deficiente ventilação, favorecem o desenvolvimento de fungos. Além de inestéticos, estes microorganismos podem provocar ou agravar problemas respiratórios.

Se a sua casa de banho possui estas manchas de humidade e não consegue bani-las com uma simples limpeza, a solução deste problema só é possível fazendo um tratamento apropriado de superfície, recorrendo a tintas especialmente protegidas contra o desenvolvimento dos referidos microorganismos.

Siga os seguintes passos para resolver o problema da humidade na sua casa de banho:

  1. Toda a superfície infectada deverá ser lavada com uma solução a 5% de lixívia em água. Deve-se passar-se várias vezes com água limpa a fim de remover todos os vestígios desta solução alcalina.
  2. Uma vez que a solução de lixívia descolora as zonas as zona enegrecidas, que por isso deixam de ficar visíveis, é necessário demarcar cuidadosamente as zonas a desinfectar e garantir que o ANTIFUNGOS CONCENTRADO é aplicado sobre todas elas abundantemente.
  3. De seguida, deverá aplicar uma ou duas demãos de ANTIFUNGOS (Líquido Desinfectante), diluindo-o com água na proporção de 1 para 5.
  4. Passadas 24 horas, tempo mínimo necessário para que actuem os elementos activos do líquido, deverá proceder a uma escovagem de toda a superfície.
  5. Por fim, proceder à pintura de toda a superfície escolhendo a tinta mais apropriada, tendo em conta o local e as solicitações a que esta irá estar sujeita.

Em condições especiais de humidade, as algas e fungos podem multiplicar-se rapidamente e as tintas de água correntes, mesmo quando protegidas com as quantidades convencionais de aditivos anti-fungos e alga, são vulneráveis ao seu ataque.

A remoção periódica destes microrganismos , quer por meios mecânicos, quer por meios químicos e a repintura das zonas é, geralmente, uma operação morosa e cara.

Por isso, em situações em que as condições são especialmente propícias ao desenvolvimento de microrganismos , dever-se-à adicionar às tintas aquosas uma quantidade suplementar (5%) do ADITIVO ANTI-FUNGOS E ALGAS,  mantendo-se as superfícies pintadas isentas de contaminações por parte desses microrganismos durante um longo período de tempo.

Fonte: CIN

>>> Artigos semelhantes:

Partilhe este artigo:
  • Print
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *